PERFIL DOS PROVÁVEIS CANDIDATOS A PRESIDENTE DA REPUBLICA EM 2014

Segundo os bastidores da politica em Brasilia em evidencias sendo eles Aécio Neves (PSDB), a reeleição da Presidenta Dilma Rousseff (PT) Eduardo Campos (PSB), Fernando Gabeira (PV) e Marina Silva (REDE). Conheça abaixo o perfil de cada um:
                              

AÉCIO NEVES (PSDB): Aécio Neves da Cunha (Belo Horizonte, 10 de março de 1960) é um economista e político brasileiro. Foi deputado federal pelo estado de Minas Gerais quatro vezes (1987-1991; 1991-1995; 1994-1998; 1998-2002), tendo presidido a Câmara dos Deputados do Brasil no biênio 2001-2002. Em 2002,  Aécio foi eleito governador de Minas Gerais no primeiro turno. Atualmente é senador da República por Minas Gerais. 

Aécio Neves veio de uma família de políticos tradicionais mineiros. Seu avô materno, Tancredo Neves, personagem fundamental na redemocratização do país, foi governador de Minas Gerais e presidente eleito do Brasil por via indireta (colégio eleitoral), tendo morrido antes de assumir o cargo. Do lado paterno, tanto seu avô Tristão Ferreira da Cunha quanto seu pai, Aécio Cunha, foram deputados federais.

Teve a primeira experiência profissional aos dezessete anos no Gabinete do Conselho Administrativo de Defesa Econômica do Ministério da Justiça do Rio de Janeiro.

É graduado em economia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Atuou na campanha de seu avô, Tancredo Neves, eleito governador de Minas em 1982. Quando o avô assumiu o cargo, convidou Aécio, então com 21 anos, para ser seu secretário particular. Em 1985, Tancredo Neves foi eleito presidente do Brasil de forma indireta, mas morreu, em 21 de abril, antes de tomar posse. Nessa época Aécio Neves foi nomeado presidente da Comissão do Ano Internacional da Juventude do Ministério da Justiça, liderando uma comitiva de 130 pessoas que foram a Moscou participar do 12º Encontro Mundial da Juventude e dos Estudantes. No período, foi também diretor de Loterias da Caixa Econômica Federal.

Iniciou, então, sua carreira política aos 22 anos, em 1983, como secretário particular de seu avô Tancredo Neves, então governador de Minas Gerais. Sendo nos bastidores da política um forte candidato pelo PSDB.
                                          

DILMA ROUSSEFF (PT): Nascida em Belo Horizonte, 14 de dezembro de 1947) é uma economista e política brasileira, filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT), e a atual presidente da República Federativa do Brasil. Durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, assumiu a chefia do Ministério de Minas e Energia, e posteriormente, da Casa Civil. Em 2010, foi escolhida pelo PT para se candidatar à Presidência da República na eleição presidencial, sendo que o resultado de segundo turno, em 31 de outubro, tornou Dilma a primeira mulher a ser eleita para o posto de chefe de Estado e de governo, em toda a história do Brasil.

Nascida em família de classe média alta, interessou-se pelos ideais socialistas durante a juventude, logo após o Golpe Militar de 1964. Iniciando na militância, integrou organizações que defendiam a luta armada contra o regime militar, como o Comando de Libertação Nacional (COLINA) e a Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares). Passou quase três anos presa entre 1970 e 1972, primeiramente na Operação Bandeirante (Oban), onde teria passado por sessões de tortura, e, posteriormente, no Departamento de Ordem Política e Social (DOPS).

Reconstruiu sua vida no Rio Grande do Sul, onde, junto a Carlos Araújo, seu companheiro por mais de trinta anos, ajudou na fundação do Partido Democrático Trabalhista (PDT) e participou ativamente de diversas campanhas eleitorais. Exerceu o cargo de secretária municipal da Fazenda de Porto Alegre de 1985 a 1988, no governo Alceu Collares. De 1991 a 1993 foi presidente da Fundação de Economia e Estatística e, mais tarde, foi secretária estadual de Minas e Energia, de 1999 a 2002, tanto no governo de Alceu Collares como no de Olívio Dutra, no meio do qual se filiou ao Partido dos Trabalhadores (PT) em 2001.

Em 2002, participou da equipe que formulou o plano de governo de Luiz Inácio Lula da Silva para a área energética. Posteriormente, nesse mesmo ano, foi escolhida para ocupar o Ministério de Minas e Energia, onde permaneceu até 2005, quando foi nomeada ministra-chefe da Casa Civil, em substituição a José Dirceu, que renunciara ao cargo após o chamado escândalo do mensalão.

Em 2009, foi incluída entre os 100 brasileiros mais influentes do ano, pela revista Época e, em novembro do ano seguinte, a revista Forbes classificou-a como a 16ª pessoa mais poderosa do mundo. Em 2011 estava incluida na lista das 100 personalidades mais influentes do planeta pela revista Time, como a terceira mulher mais poderosa do planeta e 22ª pessoa mais poderosa do mundo pela Forbes. Ainda, recebeu o Woodrow Wilson Award, dedicados a líderes de governos dedicados a melhorar a qualidade de vida de seu país e ao redor do mundo.

Rousseff foi a primeira mulher a abrir a Assembleia-Geral da ONU em 2011 que foi realizada em Nova Iorque.

                                    

EDUARDO CAMPOS (PSB): Eduardo Henrique Accioly Campos nasceu no Recife em 10 de agosto de 1965. Aos 16 anos, ingressou na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) para cursar Economia. Aos 20, formou-se como aluno laureado e orador da turma. Começou a militância política ainda na universidade, como presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia. Em 1990, ingressou no Partido Socialista Brasileiro (PSB) e foi eleito deputado estadual. Chegou ao Congresso Nacional em 1994, mas ficou à disposição do Governo de Pernambuco. Exerceu os cargos de Secretário de Governo da Fazenda do Estado entre 1995 e 1998.

 Nesse mesmo ano, voltou a disputar uma vaga no legislativo federal e foi reeleito deputado, o mais votado do Estado (173.657 votos). 

No exercício do terceiro mandato como deputado federal, conquistado em 2002, Eduardo Campos destacou-se como articulador do Governo Lula nas reformas da Previdência e Tributária e figurou, por três anos consecutivos, na lista do DIAP (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) como um dos 100 parlamentares mais influentes do Congresso. Em 2003, tomou posse como ministro de Ciência e Tecnologia, o mais jovem no primeiro mandato do governo do presidente Lula. 2005, Eduardo assumiu a presidência nacional do PSB. Em 2006, lançou sua candidatura ao Governo de Pernambuco e foi eleito com 65% dos votos. Em 2010, disputou a reeleição e obteve a vitória no primeiro turno com mais de 82% dos votos válidos (3.450.874), sendo essa a maior votação proporcional para governador no Brasil nessas eleições.

 Eduardo Campos e um fortíssimo candidato a presidência da republica em 2014 pelo PSB.

                                    

FERNANDO GABEIRA (PV): É conhecido pela sua atuação no Partido Verde brasileiro (do qual é membro-fundador), defendendo posições polêmicas em questões consideradas como tabus na cultura política brasileira (como a profissionalização da prostituição, o casamento homossexual e a descriminalização da maconha).

É também conhecido por ter participado da luta armada contra o Regime militar no Brasil (1964–1985), como militante do Movimento Revolucionário Oito de Outubro, que tentava instaurar o socialismo no Brasil. Na época, trabalhava como repórter do Jornal do Brasil, no Rio de Janeiro.
Participou do sequestro do embaixador norte-americano Charles Elbrick às vésperas do 7 de setembro de 1969. O episódio é narrado em seu livro O que é isso, companheiro?, de 1979. O sequestro ocorreu como forma de pressionar o regime militar a libertar quinze presos políticos, ligados a organizações clandestinas da esquerda política. De fato, tais presos foram libertos e banidos do país, mas os envolvidos no sequestro foram presos algum tempo depois. O próprio Gabeira foi preso em 1970 na cidade de São Paulo. Resistiu à prisão e tentou fugir em direção a um matagal que existia por perto. Vários tiros foram disparados e um deles atingiu suas costas, perfurando rim, estômago e fígado.

Preso, foi liberto em junho do mesmo ano, tendo sido trocado com outros 39 presos pelo embaixador alemão Ehrenfried von Holleben, que também havia sido sequestrado. O grupo foi banido do país e embarcado para a Argélia.
Fernando Gabeira esteve exilado entre 1970 e 1979. Em dez anos, esteve em vários países, entre eles Chile, Suécia e Itália. Na Suécia, onde viveu a maior parte de seu exílio, estudou Antropologia na Universidade de Estocolmo e exerceu da profissão de repórter até a função de condutor de metrô, em Estocolmo. Voltou ao Brasil, em 1979, com a lei da Anistia. Passou, então, a atuar como jornalista e escritor, defendendo o fim do regime militar. Após 1985, apoiou a causa dos direitos das minorias e do meio ambiente.

Gabeira é primo da jornalista Leda Nagle. Durante o exílio, casou-se com sua companheira de militância política, Vera Sílvia Magalhães. Já de volta ao Brasil, foi casado por dezesseis anos com a estilista Yamê Reis, com quem teve duas filhas — a psicóloga Tami e a surfista Maya Gabeira. O casal se divorciou em 1999. Atualmente, é casado com a atriz e empresária Neila Tavares.
Após voltar ao Brasil, em 1986 Fernando Gabeira foi candidato ao Governo do Estado do Rio de Janeiro pelo PT, sendo derrotado por Moreira Franco; em 1989 concorreu à Presidência da República, dessa vez pelo PV, obtendo 0,18% dos votos.
Em 1994, Fernando Gabeira é eleito deputado federal, pelo Partido Verde do Rio de Janeiro, sendo reeleito em 1998. Em 2002, trocou o Partido Verde pelo PT novamente, sendo novamente eleito. Após considerar um absurdo ter tido que esperar durante uma hora para ser atendido pelo então Ministro-Chefe da Casa Civil José Dirceu, decidiu abandonar mais uma vez o partido, ficando algum tempo sem legenda.

Em 2005, na Câmara dos Deputados, Gabeira chamou o então Presidente da Casa, Severino Cavalcanti de "vergonha para o país", e ameaçou começar um movimento para derrubá-lo se ele continuasse a apoiar em nome do Congresso empresas que utilizam trabalho escravo. Também participou da CPI das Sanguessugas, em 2006, como um dos sub-relatores.

Filiando-se novamente ao PV, concorreu à reeleição, sendo o deputado federal mais votado do Rio de Janeiro em 2006.

Em 2008, lançou sua candidatura a prefeitura do Rio de Janeiro em uma aliança com o PSDB e o PPS. Fernando Gabeira ficou em segundo lugar no primeiro turno das eleições à prefeitura do Rio de Janeiro, ocorrida no dia 5 de outubro, com 839.994 dos votos válidos, ou 25.61%.[4] No segundo turno, Fernando Gabeira obteve 1.640.970 de votos, ou 49,17% dos votos válidos e perdeu por uma diferença de apenas 1,66% para seu adversário, Eduardo Paes.

Em 2009, Gabeira admitiu o uso indevido da sua cota parlamentar de passagens aéreas,[6] possibilitando que terceiros, cujos nomes não foram divulgados, viajassem utilizando o dinheiro público. O próprio deputado admitiu que este escândalo pode significar sua morte política, tendo inclusive cogitado abandonar a carreira pública, mudando de opinião logo em seguida.
Gabeira se candidatou a governador no Estado do Rio de Janeiro nas eleições de 2010, tendo ficado em segundo lugar com 20,68% dos votos, sendo derrotado pelo governador Sergio Cabral.

Em 2010, em um projeto com a presidenciável Marina Silva, lançou o jogo online "Um Mundo"[8] que aproveita a onda dos jogos de criação no estilo "Farm" e convida o visitante, mesmo não simpatizante, a contribuir com a criação de um mundo melhor.

No segundo turno das eleições presidenciais de 2010, Gabeira declara apoio à candidatura de José Serra. Nos bastidores da política surge  como um nome forte de acordo com o PV deseja lançar candidatura para fortalecer o partido em 2014.

                                   

MARINA SILVA (REDE): Nascida em Rio Branco, 8 de fevereiro de 1958 é uma ambientalista, historiadora, pedagoga e política brasileira. Foi senadora pelo estado do Acre durante 16 anos.

Foi Ministra do Meio Ambiente no Governo Lula do seu início (1/1/2003) até 13 de maio de 2008. Também foi candidata à Presidência da República em 2010 pelo Partido Verde (PV), obtendo a terceira colocação entre nove candidatos, com 19,33% da porcentagem total - expressivos 19.636.359 votos válidos em todo o território nacional. Em relação ao novo partido, Marina Silva está num processo de concretização da fundação da nova sigla que, se o Tribunal Superior Eleitoral conceder o registro, o qual depende da coleta de 500 mil assinaturas, receberá a denominação de Rede Sustentabilidade.

251 comentários:

«Mais antigas   ‹Antigas   1 – 200 de 251   Recentes›   Mais recentes»
«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 251   Recentes› Mais recentes»



DINOVE COMUNICAÇÕES - SEJA BEM VINDO: Olá agradecemos sua visita ao Portal Política na Web - Mais uma da Dinove Comunicações!

Videos da Política Nacional

Loading...